Mitos e lendas na cultura portuguesa

É possível integrar-se melhor numa sociedade, quando se conhece a sua cultura. Esta tarefa pode ser facilitada quando conhecemos as lendas e os mitos dessa cultura. Este tipo de texto é originalmente transmitido oralmente, e portanto de geração em geração, num processo em que cada história era contada de uma forma pessoal e hoje está presente em diferentes espaços de interação comunicativa. As lendas descrevem geralmente as origens das primeiras coisas, heróis e acontecimentos históricos, mas não correspondem a factos reais, pois têm elementos do invulgar (o fantástico). Histórias, lendas, mitos ajudam-nos a compreender o mundo em que vivemos, a compreender certos valores e, por vezes, a moral de um povo.

Portugal é um país extremamente rico em histórias míticas e lendárias antigos que inspiram costumes e superstições. Existem centenas de lendas, histórias e crenças populares portuguesas que tornam esta cultura tão rica e interessante. A diversidade nacional deve-se em grande parte à forma como os acontecimentos históricos são recordados e veiculados nos mitos, por exemplo.
Essas narrativas são frequentemente criadas para dar a uma determinada região a sua singularidade. Por exemplo, a lenda das Sete Cidades descreve uma criação da Lagoa Azul e Lagoa Verde que no seu todo completam a Lagoa das Sete Cidades, na Ilha de São Miguel. Esta lenda retrata o amor proibido de dois namorados que tiveram de se separar. Eles choravam, e as suas lágrimas formavam duas lagoas que estavam para sempre um com o outro, e porque nunca se podiam reunir, nunca se separariam. Hoje em dia, em dias mais intensos e ensolarados, é possível ver as cores dos dois lagos de uma forma intensa.

No fim de tudo, restaram apenas as nove ilhas dos Açores e o palácio da princesa, transformado agora na Lagoa das Sete Cidades. A lagoa dividiu-se em duas: uma verde, como o vestido da princesa, e a outra azul, da cor dos seus sapatos.*

Uma das lendas mais famosas entre os portugueses e não só é, o mito de D. Sebastião, uma lenda que está muito claramente enraizado na cultura.
O nascimento de D. Sebastião foi considerado como o primeiro passo para a recuperação e reforçou a crença de que tinha sido enviado por Deus. Depois de muitas expedições e expansões em tempos posteriores, D. Sebastião nunca regressou ao país, mas até hoje os portugueses acreditam no seu regresso e na salvação do país. A falta de provas quanto aos ossos pertencentes ao monarca apenas alimentou o mito do “Sebastianismo”, mito este que elega a volta de D. Sebastião.

Esta é apenas uma pequena parte que mostra a beleza da cultura portuguesa contida em histórias, mitos e lendas. É especialmente útil quando se quer mergulhar completamente em Portugal e uma forma de se apaixonar pela cultura portuguesa. Já ouvi falar da Moura encantada?

*Fonte da lenda: https://www.infopedia.pt/$lenda-das-sete-cidades

Trabalho apresentado à disciplina de Linguagem e a mídia: texto e discurso, ministrada pelo professor Samuel Figueira Cardoso – Instituto de Estudos Ibéricos e Ibero-americanos da Universidade de Varsóvia, semestre de inverno 2021/2022.

+ posts

Estudante do terceiro ano da Licenciatura em Estudos Portugueses no Instituto de Estudos Ibéricos e Ibero-Americanos da Universidade de Varsóvia.
Gosta de cozinhar, viagens e é interessada em psicologia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Top