Na trilha das lendas


Figura de Galo de Barcelos (iStock by Getty Images/Artsy)

As pessoas viajam pelo mundo por diferentes razões. Alguns fazem-no para fins comerciais, outros para visitar amigos ou familiares que vivem noutro país, ou eles próprios desejam mudar-se para outro país. No entanto, a maior e mais comum razão para viajar para lugares desconhecidos é, evidentemente, o turismo. 

O turismo é um fenómeno interessante, porque cada país pode atrair-nos por diferentes razões. Podemos ir à Suíça, para as montanhas, a Nova Iorque. para admirar a cidade moderna, ao Japão para admirar o desenvolvimento da tecnologia e à Itália para admirar os belos e enormes edifícios de pedra construídos há centenas de anos. Cada país tem o seu próprio encanto e história que o turista quer conhecer e ver.

A cultura também é fascinante, pois é uma mistura de história, crenças e tradições de uma nação dada. As lendas fazem parte da cultura de um dado povo. Algumas são menos conhecidas, enquanto outras são extremamente populares e podem ser um ícone turístico, isto é, podem tornar-se um símbolo de uma dada cidade, sendo assim uma atração turística. Neste ensaio, focamo-nos em duas lendas de diferentes países que atraem muitos turistas para o seu local de origem: Polônia e Portugal.

Dentre as numerosas e diversas lendas portuguesas, vamos falar do Galo de Barcelos, uma lenda sobre um peregrino medieval a caminho de Santiago de Compostela que foi salvo da morte na forca graças a um galo. A lenda tornou-se famosa em 1935, na Exposição de Arte Popular Portuguesa em Genebra, onde uma figura de cerâmica de um galo foi exposta. Este pequeno ornamento tornou-se tão popular porque as pinturas nos seus lados retratavam padrões folclóricos e faziam uma grande referência à lenda acima mencionada. Hoje, o pequeno galo de cerâmica é um dos símbolos de Portugal, um ícone do turismo e do folclore. Não é necessário ir a Barcelos para encontrar o galo como lembrança, pois está disponível em todas as lojas de recordações de todo o país.

Escultura de Dragão de Wawel em Cracóvia (iStock by Getty Images/borzywoj)

Na antiga capital da Polónia, Cracóvia, a lenda mais famosa é aquela sobre o Dragão Wawel, que vivia sob o Castelo Wawel, mas um sapateiro batizou o dragão com uma carne do cordeiro envenenada com enxofre e salvou a cidade. Esta lenda é extremamente popular e todos os residentes a conhecem. Sob o Castelo de Wawel, que é obviamente o castelo real onde viveram muitos reis polacos, existe a Caverna do Dragão. Esta é a caverna que provavelmente deu origem à lenda. É uma visita obrigatória à Cracóvia. E junto à saída da gruta há uma escultura de bronze deste dragão, que foi erguida em 1969, que respira fogo. Pode-se comprar semelhanças do dragão como lembranças, as suas miniaturas, brinquedos de pelúcia, semelhanças nos sacos ou canecas.

Olhando para estas duas lendas, podemos ver como as lendas são importantes para o turismo local. Encorajam com o seu conteúdo e lembranças coloridas, que estão disponíveis em todo o lado, a conhecer um pedaço de cultura e história dos lugares de origem, Polónia e Portugal. Também impulsionam o comércio e, ao abastecerem a economia, as cidades podem manter estes lugares históricos mas também continuar a desenvolver-se.

Trabalho apresentado à disciplina de Linguagem e a mídia: texto e discurso, ministrada pelo professor Samuel Figueira Cardoso – Instituto de Estudos Ibéricos e Ibero-americanos da Universidade de Varsóvia, semestre de inverno 2021/2022.

+ posts

Estudante do terceiro ano da Licenciatura em Estudos Portugueses no Instituto de Estudos Ibéricos e Ibero-Americanos da Universidade de Varsóvia.
Gosta de ler romances policiais ou romances e viagens e é interessada em cinema.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Top